CLN - Concessionária Litoral Norte
12/12/2012
Carlos Rátis - Interventor do Bahia
12/12/2012
Ordem dos Advogados da Bahia
12/12/2012
CLN - Concessionária Litoral Norte
12/12/2012
CENÁRIO

A Concessionária Litoral Norte (CLN) é responsável pela manutenção e conservação da rodovia BA-099, mais conhecida como Estrada do Coco. A empresa opera na região desde 2000, quando ganhou a licitação do Governo do Estado da Bahia para administrar a rodovia.

Em 2013, em cumprimento a um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), firmado com o Ministério Público da Bahia (MP-BA), Secretaria Estadual de Infraestrutura (SEINFRA) e a Agência Estadual de Regulação (AGERBA), a CLN reajustou os valores das tarifas do pedágio, que desde 2007 não tinham sido alterados, acumulando uma defasagem tarifária de 60%.

A empresa estava coberta pela lei e tinha o direito de reajustar o valor, mas por ser um período pré-eleitoral, muitos vereadores e deputados estavam atentos ao aumento e já lutavam para o mesmo não acontecer. Meses antes, muitos já faziam críticas à implantação da CLN na região de Camaçari.

Alguns apresentadores mais sensacionalistas também exploravam o assunto em alguns veículos de comunicação incitando a população ir para às ruas contra a cobrança do pedágio. O aumento ainda não tinha acontecido, mas o cenário já era de reclamações contra a instituição.

DESAFIO

O objetivo era passar para a população que o aumento da tarifa foi feito dentro das normas legais e em comum acordo com os órgãos reguladores e que, por tanto, não era uma decisão autônoma da CLN. A Varjão Comunicação também teria que usar estratégias para gerenciar comentários e reclamações que pudessem causar desgastes à imagem da empresa.

ESTRATÉGIA / METODOLOGIA

Após a publicação da autorização do reajuste no Diário Oficial do Estado, a Varjão Comunicação entrou em campo, para gerenciar a imagem da CLN.

Além de encaminhar o release para todos os veículos de comunicação (impressos, on line, rádio e TV) de Salvador e Região Metropolitana, a assessoria de comunicação também fez um trabalho intenso do follow up, para confirmar o recebimento do material e esclarecer possíveis dúvidas dos jornalistas nas redações.

O contato direto com os profissionais, deu a oportunidade a assessoria para reforçar o argumento de que o aumento foi determinado pelo órgão regulador e, por tanto, a CLN só estava obedecendo. A estratégia era tirar o foco da empresa. O diálogo com os jornalistas também foi para orientá-los a falar sobre a defasagem no valor da tarifa, que não era reajustada desde 2007. Além do follow up, também foi feito o monitoramento impresso, on line e eletrônico sobre tudo o que saiu sobre o cliente na imprensa.

RESULTADO OBTIDO

O assunto reajuste do pedágio da Estrada do Coco (BA-099) teve mais de 173 inserções na imprensa, destas 115 positivas, 44 negativas e 14 neutras. A notícia ganhou destaque de forma positiva na capa dos principais jornais impressos da Bahia, que são A Tarde, Correio e Tribuna da Bahia.

Na TV Bahia, filiada à Rede Globo, os apresentadores do Jornal da Manhã, programa que tem grande audiência no turno matutino, trataram o tema com destaque e foram fiéis às informações passadas pela assessoria.

As rádios de notícias (Band News, CBN e Metrópole FM), que têm grande audiência entre motoristas, principais afetados pelo aumento, também publicaram a informação do reajuste, mas dando enfoque a defasagem do aumento e o início de obras de melhorias na rodovia.

Apesar de algumas reclamações de ouvintes e comentários negativos de apresentadores mais sensacionalistas, a Varjão Comunicação Integrada gerenciou de forma efetiva a imagem da CLN e conseguiu conduzir estrategicamente a notícia do aumento, mantendo o assunto em destaque e de forma positiva nos veículos de comunicação que têm mais audiência no Estado.

Carlos Rátis - Interventor do Bahia
12/12/2012
CENÁRIO

Após acatar a ação de um sócio do Esporte Clube Bahia, que entendeu que a eleição para presidente do time, em 2011, desrespeitou o estatuto do clube, a Justiça baiana destituiu o presidente reeleito e nomeou o advogado Carlos Rátis como interventor para fazer novas eleições no Bahia.

O momento era tenso, pois tanto o torcedor quanto a imprensa queriam saber qual era a situação do Bahia, porque o clube passava por dificuldades financeiras e quais eram as irregularidades cometidas na gestão do presidente destituído. Existia uma grande demanda por informação, muitas que ainda nem existiam. Faltava organizá-las e definir qual seria a melhor maneira de passá-las para a imprensa.

DESAFIO

Como interventor, Carlos Rátis assumiu as atividades administrativas do Bahia durante três meses. A equipe de intervenção tinha muito a fazer, mas a imprensa também estava ávida e precisava de informações sobre a situação em que o Bahia se encontrava e quais seriam os próximos passos até a eleição.

O Grupo Varjão foi contratado com o objetivo de filtrar essas informações junto à equipe de intervenção e manter o relacionamento diário com a imprensa.

ESTRATÉGIA / METODOLOGIA

Para que o trabalho de comunicação fosse eficaz, foi necessária a participação direta da Varjão Clipping na pesquisa, monitoramento, cadastro e envio em tempo real das informações para o cliente.

Esse serviço mantinha o assessorado bem informado sobre todos os assuntos relacionados à intervenção que saiam na imprensa. Em caso de citação negativa, proporcionava a ele a possibilidade de intervir imediatamente, com nota de esclarecimento ou resposta, através da assessoria de comunicação.

Também foram feitos contatos pontuais com jornalistas especializados na área esportiva, agendamento de entrevistas (ao vivo e por telefone), divulgação de releases e follow up com os principais veículos de comunicação, orientação sobre como se comportar diante da imprensa, acompanhamento ao cliente em eventos, organização de coletivas e entrevistas exclusivas.

RESULTADO OBTIDO

O tema "Intervenção no Esporte Clube Bahia" teve mais de 600 inserções na mídia eletrônica (322 áudios / 300 vídeos), 349 na impressa e 633 on line. O assunto ocupou os mais importantes espaços da imprensa esportiva local e nacional.

Os sites e jornais impressos geraram conteúdos sobre a intervenção, que quase todos os dias tinha destaque nos veículos. Jornais como Correio* e A Tarde, que têm grande credibilidade no meio esportivo, publicaram diversas matérias de capa e entrevistas com o interventor Carlos Rátis.

O assunto também teve grande repercussão nas principais emissoras de rádio e TVs da Bahia, com destaque para as entrevistas concedidas aos programas Globo Esporte, da TV Bahia, e CBN em Campo, da rádio CBN, ambas filiadas à Rede Globo.

O cuidado com a imagem e as informações que foram passadas para a imprensa, trouxe resultado positivo para o interventor Carlos Rátis, que se tornou líder do processo de intervenção que democratizou o clube, tornando o estatuto tricolor o mais moderno do Brasil e possibilitando o inédito voto direto dos torcedores para presidente.

Ordem dos Advogados da Bahia
12/12/2012
CENÁRIO

Em 2006, advogados do Grupo Ação e Ética, liderados pelo hoje ex-presidente da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB-BA), Saul Quadros, decidiram enfrentar o desafio de concorrer à eleição para a Presidência da Ordem que elegeria um gestor para o triênio de 2007 à 2009.

Para concretizar o objetivo, Saul Quadros tinha que enfrentar de perto o então presidente da instituição, eleito para o pleito 2004 e 2006, Dinailton Oliveira, que além de forte influência entre a classe de advogados na Bahia, também tinha os recursos da "máquina" ao seu favor.

DESAFIO

O então presidente da OAB-BA, Dinailton Oliveira, iria tentar a reeleição. Como estava à frente do cargo desde 2004, já tinha mais visibilidade e maior influência em relação aos demais candidatos.

A Varjão Comunicação Integrada foi contratada para fazer o trabalho de comunicação e marketing da chapa Ação e Ética, encabeçada por Saul Quadros, durante a campanha para a eleição da Presidência da OAB-BA para o pleito de 2007 à 2009.

O objetivo era driblar a influência do adversário, gerenciar a imagem e o discurso de campanha do candidato. Além de convencer os eleitores de que a chapa Ação e Ética era a mais preparada para assumir a Ordem.

ESTRATÉGIA / METODOLOGIA

A Varjão Comunicação usou as ferramentas disponíveis na internet para se aproximar e interagir mais com o público. Criou um hot site para apresentar e mostrar a agenda de compromissos, histórico profissional dos membros e propostas da chapa Ação e Ética. Também fez um trabalho estratégico nas redes sociais (You Tube e Twitter) para agregar e convencer mais pessoas a aderirem às ideias da campanha.

Para que o trabalho de comunicação fosse eficaz, a empresa intensificou as atividades em pesquisa, monitoramento, cadastro e envio de clipping em tempo real das informações para o cliente. O serviço mantinha o candidato e a assessoria de comunicação bem informados sobre comentários e citações (positivas e negativas) referentes à campanha. Também possibilitava o controle das pautas e conteúdos elaborados pela equipe.

RESULTADO OBTIDO

Após uma votação acirrada, o advogado Saul Quadros Filho, da chapa Ação e Ética, foi eleito presidente da seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) para o período 2007-2009. Ele obteve 3.405 votos, 48,7% do total, superando o então presidente e candidato a reeleição Dinailton Oliveira (47,8%), com 63 votos de diferença.

Com o objetivo de dar continuidade ao trabalho iniciado em 2007, Saul Quadros lançou sua candidatura à reeleição para a Presidência da Ordem dos Advogados do Brasil/BA (triênio 2010/2012). A Varjão Comunicação também ficou responsável pela campanha que reelegeu a chapa.

Nesta eleição para o pleito de 2010 à 2012, o êxito foi maior porque a chapa ganhou com uma margem de 45% com relação as três chapas concorrentes. Isto, graças ao trabalho desenvolvido pela atual administração conjuntamente com o trabalho de imagem e comunicação feito pela assessoria.

Durante o período em que ficou responsável pela comunicação da OAB-BA, a empresa gerenciou a comunicação institucional e mercadológica; transformou o jornal da Ordem em revista; criou o catálogo "Sociedades de Advogados" e lançou a revista em homenagem aos 80 anos da OAB.